Parque Natural Regional do Vale do Tua cria E-Book para a Competitividade

A identificação dos recursos e potencial regional e o envolvimento dos potenciais parceiros institucionais são a base desta estratégia de aumento da competitividade dos cinco municípios que integram o Vale do Tua.

 

Uma vez mais o Parque Natural Regional do Vale do Tua (PNRVT), posiciona-se na linha da frente para fazer face aos desafios de desenvolvimento que permanentemente se colocam.

A preparação de um E-Book, uma ferramenta digital onde se enumeram todos os recursos económicos, sociais, turísticos, culturais e outros, dos cinco concelhos que integram o Vale do Tua (Alijó, Carrazeda de Ansiães, Mirandela, Murça e Vila Flor), bem como os possíveis parceiros institucionais que determinados projetos possam necessitar, faz parte da estratégia para aumentar a competitividade deste território, um documento que está a ser produzido em português, inglês, espanhol e francês.

“Entendemos que devemos ser nós a dizer aos potenciais investidores o que temos, quais as áreas de negócio que aqui podem ser potencializadas, em vez de estarmos à espera que nos descubram”, argumenta o diretor do PNRVT, que sempre teve uma postura pró-ativa na definição dos destinos do Vale do Tua.

A criação do E-book está a cargo da consultora Partnia, empresa que também faz a consultoria e apoio técnico à “Tua Incubadora”. Aliás, esta ideia nasceu no seio da incubadora como forma de atrair novos investidores e mais riqueza para a região. “Consideramos fundamental que a informação esteja acessível e devidamente organizada, quer do ponto de vista das oportunidades, quer a própria estratégia regional”, acrescenta Carla Branco, responsável pela Partnia.

O E-book pretende também desenvolver uma estratégia de comunicação mais assertiva e que identifique e valorize parceiros institucionais e internacionais que possam contribuir ativamente para o desenvolvimento do TUA.

Recordamos que o PNRVT nasceu com o intuito de preservar, conservar e promover o território e a sua biodiversidade, mas sem com isso impedir o desenvolvimento e o crescimento económico e social do território. “Sem pessoas não há conservação da natureza”, defende Artur Cascarejo, que se tem empenhado em criar aquilo a que chama “condições de contexto”, para que possam surgir novos projetos, criação de postos de trabalho, fixação de recursos humanos qualificados, isso sim em consonância com uma estratégia de sustentabilidade e de equilíbrio entre os recursos naturais e a rentabilização do território.

A “Tua Incubadora” também tem feito muito desse trabalho, através de algumas medidas do IAPMEI, como o StarUP Voucher tem apoiado jovens no desenvolvimento de ideias que estão a resultar em novos negócios, através da certificação StartUP Visa, habilitou o território para captar e apoiar empreendedores de outras nacionalidades, sem residência permanente no Espaço Schengen.

Traduzir»