Preservar os valores naturais e a identidade territorial, valorizar o território, em todas as suas vertentes, como um produto único, promover e vender o Vale do Tua turisticamente, são os principais objetivos subjacentes à criação do Parque Natural Regional do Vale do Tua. Como se alcançam esses objetivos? Com trabalho e determinação e, sobretudo, com a organização do Turismo.

 

longomai26O Turismo é visto como o ponto-chave para a promoção do desenvolvimento regional e com base nessa convição nasceu, no seio da Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua (ADRVT) o Parque Natural Regional do Vale do Tua (PNRVT). Este novo organismo, que atua nos cinco concelhos que integram a ADRVT (Alijó, Carrazeda de Ansiães, Murça, Mirandela e Vila Flor), quer mostrar que existe uma nova oferta turística no território e no país, que não quer ser ignorada, pelo contrário, que está apostada em reunir sinergias, aproveitar o que já existe, o que ainda está a ser feito, apostar em parcerias estratégicas, para se apresentar no mercado nacional e internacional, de forma organizada, estruturada e sustentada. “Todos nós sabemos que não há uma segunda oportunidade para causar uma primeira boa impressão”, comenta Artur Cascarejo, diretor do PNRVT.

É nessa primeira boa impressão que o PNVRT está a trabalhar. Começou pela criação da imagem e definição de um plano de comunicação e seguiu pela criação de conteúdos, que permitam trabalhar a promoção e cativar o visitante. Exemplo disso, entre outros, é a criação do Guia de Natureza de Vale do Tua, que informa sobre todos os recursos naturais mas também sobre o património, a cultura, a oferta hoteleira, os produtos, etc.

“O que o PNRVT está a fazer de momento é a investir nos custos do contexto, isto é, na organização, na estruturação da oferta no seu conjunto, uma área onde nenhum privado iria investir”, continua Cascarejo.

Dentro desta lógica de otimização de recursos e sinergias aquele responsável sublinha a importância das parcerias externas: “Nós já integramos a rede de parques naturais, aderimos à marca Natural.pt., ao consórcio Norte Natural, porque temos de ganhar escala”.

Uma escala que em momento algum representa a perda da identidade local, pelo contrário, é essa diferenciação que pode constituir uma mais-valia para convencer o turista a permanecer no território por mais do que um dia e meio, que é o tempo que em média permanece actualmente.

“Se queremos trabalhar no mercado internacional temos de perceber que um turista da Noruega ou da Suécia não vem passar 15 dias só ao Parque Natural do Vale do Tua, ou ao Geopark Terras de Cavaleiros, ou a Montesinho, mas se toda esta oferta estiver estruturada já é possível ao turista organizar o seu programa de 15 dias”, defende. “E neste momento o que nós temos de dizer é que existimos, há uma nova realidade na oferta turística no território, que é o Parque Natural Regional do Vale do Tua”, remata.

O PNRVT é um projecto que nasce na defesa do desenvolvimento sustentável de todo o Vale do Tua, que tem no Turismo o principal foco de dinamização económica.