Há uma princesa que é uma cidade

Há uma cidade que se veste de flores para abraçar o rio…

Há um rio que corre, sereno e tranquilo, as suas águas dançam em passo lento, indiferentes ao olhar de quem as admira…

É o rio Tua que dá vida à cidade de Mirandela.

E em seu redor aflora o património edificado com muitas razões para uma visita. O Palácio dos Távoras, o Solar dos Condes de Vinhais, a Porta de Santo António e, a mais vaidosa e engalanada, aquela que tem privilégios de se espelhar no rio, a Ponte Velha, de origem medieval.

Nas margens do rio, o Parque Dr. José Gama, Zona Verde por excelência desta cidade, convida ao lazer, ao convívio, e nos dias mais quentes a um mergulho revitalizante nas águas do Tua, aproveitando a sua praia fluvial que orgulhosamente ostenta Bandeira Azul, símbolo de qualidade ambiental.

No centro da cidade o comboio turístico passeia-se e passeia os visitantes pelos pontos de maior interesse, pela história, pela cultura e, claro, pelos jardins, sempre vistosos e coloridos, apadrinhados pela oliveira, a árvore que dá o fruto mais apreciado da Terra Quente transmontana, o fruto que se há-de transformar nos melhores azeites do mundo.

A importância cultural, económica e social deste produto pode ser melhor compreendida no Museu da Oliveira e do Azeite, um espaço de visitação e interpretação do território.

Na gastronomia há apenas uma rainha, a alheira de Mirandela, eleita uma das Sete Maravilhas Gastronómicas em Portugal, é impulsionadora de uma enorme dinâmica económica no concelho… o que explica a realização de um dos maiores eventos gastronómicos da região: a Feira da Alheira.

São muitas as razões para festejar em Mirandela mas a maior festividade do município começa a 25 de julho, em honra da padroeira da cidade, a Nossa Senhora do Amparo.

A folia dura mais de uma semana, com destaque para a marcha luminosa, a espetacular noite dos Bombos, uma madrugada de barulho estrondoso, que se mistura com a alegria das milhares de pessoas que se juntam para bombar ou simplesmente para assistir, a majestosa procissão em honra da padroeira e o grandioso espetáculo de fogo-de-artifício.

Mas Mirandela é também calma, serenidade, natureza no seu estado mais puro, entre montes e vales, bosques e olivais encontramos o equilíbrio, sentimos o som do silêncio.

Os percursos pedestres trilhados neste concelho convidam a uma caminhada de descoberta que facilmente se poderá transformar numa memorável experiência de encontro ou reencontro com a essência, consigo mesmo, com a natureza mais pura, com a vida que emerge a cada dia, que se renova e transforma.

É um privilégio caminhar tendo o Tua como companheiro, um rio que murmura poemas sem precisar usar a linguagem dos homens.

Um rio que canta venturas e desventuras, que teimosamente segue o seu curso sempre irreverente.

Um rio que no seu leito abriga uma enorme diversidade de peixes e invertebrados aquáticos e nas suas orlas alimenta ulmeiros e salgueiros, choupos e freixos, juncais e até algumas espécies de plantas aromáticas e medicinais como as hortelã-de-água ou a erva-peixeira.

E as aves que também no rio, bebem liberdade e que entoam melodias encantadoras, tendo como banda sonora o borbulhar das águas do Tua.

É da diversidade que se constrói a unidade que caracteriza este maravilhoso Vale, que se define e diferencia a identidade deste território.

É da diversidade que se constrói a monumentalidade da paisagem e que cresce a vontade de conhecer, mais e mais, de olhar, de provar, de tocar de sentir este lugar tão especial.

Tudo isto é magia, tudo isto é Mirandela, Tudo Isto é Tua,

Tudo isto está à TUA espera.

Por: Ana Fragoso